Bragança Fernandes acusa o primeiro-ministro de fazer “reengenharia criativa”

Porto, 26 set (Lusa) – O presidente da distrital do PSD/Porto, Bragança Fernandes, acusou hoje o primeiro-ministro de fazer “reengenharia criativa” com os números sobre a economia no país, revelando que no distrito do Porto o número de insolvências aumentou 20% em 2016.

“O número de insolvências em Portugal aumentou quase 10% em 2016, face a período homólogo em 2015, ultrapassando a fasquia das cinco mil empresas. No distrito do Porto essa variação foi a maior do país, com quase 20% de aumento”, refere o líder da distrital.

Em comunicado, Bragança Fernandes acusa o Governo de “incoerência” e pede que António Costa se retrate “junto do povo português, já que no seu último debate quinzenal, faltou à verdade, quando apresentou um conjunto de informação técnica sobre a economia do país”.

“Sendo toda a matéria evocada importante para a vida das pessoas, importa, por ser verdade, rebater a informação prestada naquela que será, porventura, a matéria mais estruturante, apesar de genérica: o clima económico” diz o dirigente social-democrata que “lamenta ainda a frase infeliz de António Costa quando refere que o indicador de clima económico melhorou”.

O também autarca da Câmara da Maia aponta mesmo alguns dados publicados pelo Observatório de Negócios da IGNIOS que, considera, “estão em direção oposta ao cenário apresentado pelo primeiro-ministro”.

Segundo o dirigente “das falências verificadas em 2016, 2,3% tinham mais de cinquenta funcionários, ao passo que em 2015 apenas 1,9% das empresas insolventes se inscreviam neste perfil”.

“O debate político deve fazer-se pelas ideias e pelos resultados alcançados. A ‘reengenharia criativa’ dos números e a manipulação de métricas (sem identificar as fontes) não são consentâneas nem aceitáveis numa democracia madura”, critica Bragança Fernandes, frisando a “falta de verdade da informação prestada pelo primeiro-ministro”.

LIL // JGJ

Lusa/Fim

Notícia publicada na agência LUSA a 26.09.2016.