COMUNICADO – A4: Túnel de Águas Santas parado

COMUNICADO

 A4: Túnel de Águas Santas parado

O túnel de Águas Santas, na auto-estrada A4, está fechado ao trânsito por via administrativa e ninguém perspetiva aos interessados até quando assim se manterá… Desconhece-se qualquer planeamento para inverter a situação denunciada pelo PSD e divulgada na comunicação social, e às incertezas das Pessoas e das Instituições locais, o Governo responde com silêncio.

Esta obra afeta milhares de agregados familiares, desde a população local que sofre os habituais “engarrafamentos”, aos utentes desta via de comunicação. São mais de 60 mil viaturas diárias que passam neste local crítico, numa das mais importantes autoestradas nacionais que une litoral e interior.

Este silêncio tem sido já testemunhado pelas populações mais prejudicadas pelas decisões do executivo de António Costa, desde logo pela decisão tomada quanto ao (não) prolongamento do metro até à Trofa. E mantém-se ainda o mesmo silêncio quando os Utentes da EN14 confrontam-se com a triste sina atual: uma “variante” com cerca 3 km de extensão, quando antes estava prevista a ligação Maia- V. N Famalicão! Ou seja, ficou esquecido o percurso entre o Castelo da Maia e Famalicão, nomeadamente toda a passagem no concelho da Trofa, onde se continuam a somar acidentes, feridos e mortes, como as verificadas no passado dia 20 de Outubro.

Este projeto é mais um bom exemplo de uma estratégia de comunicação política que prevalece sobre qualquer estratégica política setorial (transportes, mobilidade e acessibilidades) e sobre o elementar foco no bem-estar das Pessoas; este projeto mereceu  financiamento e execução assegurados desde 2014, mas foi adiado com a entrada em funções deste governo, que retomou e até re-anunciou perante candidatos a autarcas locais, utilizando uma causa pública e comum para mera operação de “charme” partidário!

O PSD-Porto tem vindo, desde há meses, a denunciar as sucessivas ingerências do governo de esquerda, liderado por António Costa, com especial incidência em matéria de acessibilidades e mobilidade no Grande Porto. Desde o IC35, passando pelo processo da variante à EN14, o túnel de Águas Santas, ou até mesmo a extensão da linha do Metro até à Trofa, os governo tem apresentado os projetos de forma casuística, aleatória e desprovida de estratégia e, em casos extremos, até vazio de critérios técnicos.

A Comissão Política Distrital do PSD-Porto reitera a exortação repetida ao governo, para uma conduta de maior transparência, mais competência e melhor utilização do erário público, no que toca ao investimento público, em prol das Pessoas do Norte e da região.

Para além das populações afetadas já não entenderem os recuos deste executivo quanto aos projetos que em fase de implementação que era suposto serem continuados e executados, menos compreendem os critérios da atual execução, nos poucos casos que merceu a continuidade e que são mediaticamente explorados como sendo da iniciativa deste executivo.

O governo deve explicar as opções técnicas e políticas subjacentes à sua interferência nos projectos em curso. Estas opções não devem ser orientadas aos eleitores: devem ser tomadas a pensar nos contribuintes, nos utentes, nos cidadãos e, sobretudo, nas Pessoas.

FAZER não é anunciar: FAZER é CONCRETIZAR!