PSD/ Porto debate com empresários da Maia apoio na expansão para mercados emergentes

Porto, 2 de dezembro de 2014 – O Presidente da Distrital do PSD/Porto, Virgílio Macedo, e os deputados deste círculo eleitoral reuniram, no dia 1 de Dezembro, com um grupo de cerca de 50 administradores de empresas vocacionadas para a exportação, do concelho da Maia.

A iniciativa, promovida pelo Grupo Parlamentar dos Deputados do círculo do Porto do PSD em parceria com a Câmara Municipal da Maia, decorreu nas instalações do TecMaia e contou com a presença e participação do Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Luís Campos Ferreira, do Presidente da Câmara Municipal da Maia, António Bragança Fernandes e do Presidente do PSD/Maia, António Silva Tiago.

Tratando-se do 9º. concelho mais exportador do país, com um volume de exportações no valor de 1.166 milhões (dados do ano de 2013), o concelho da Maia tem assumido um relevante empenho na desburocratização de processos que facilitem as exportações. Nesse sentido, este encontro assumiu como objetivo o esclarecimento e a afirmação de políticas favoráveis à internacionalização da economia.

Conversando com os empresários, o membro do Governo, Luís Campos Ferreira, referiu-se aos méritos silenciosos de uma diplomacia económica e empresarial a que se deve muito do sucesso das empresas portuguesas. Durante a reunião, o Presidente da Câmara da Maia, Bragança Fernandes ilustrou o exemplo da cidade com recurso a vários indicadores sócio-económicos enquanto o Presidente da Distrital do PSD/Porto, Virgílio Macedo teve oportunidade de se referir a assuntos de importância para o concelho da Maia, como o pagamento das ex-scut’s ou a elevada dependência processual nos juízos de execução da Maia.

O líder distrital, Virgílio Macedo considerou ainda que “os empresários estão na primeira linha da recuperação e da mudança de paradigma da economia e estão empenhados em continuar a fazer os seus investimentos e a exportar para diversificar os mercados”.

A reunião terminou com o compromisso de outros membros do Governo se seguirem num futuro próximo, para debaterem questões prementes.