PSD quer explicações do Governo sobre alegada falta de meios na PSP do Porto

Porto, 07 fev (Lusa) – O PSD vai questionar o Governo sobre a alegada falta de meios na PSP do Porto e sobre o facto de o estatuto da PSP não estar a ser cumprido, disse hoje o deputado social-democrata Virgílio Macedo.

“Vamos questionar o Governo relativamente ao investimento que não foi feito ao nível da PSP, tanto em termos materiais, como em termos de recursos humanos, porque (…) depois de ser aprovado um estatuto da PSP pelo anterior Governo, não está a ser cumprido pelo atual Governo”, afirmou Virgílio Macedo, deputado do PSD e ex-secretário de Estado da Administração Interna.

À margem de uma reunião com a direção da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP) do Porto, que decorreu hoje na cidade do Porto, Virgílio Macedo lamentou que a implementação do novo estatuto da PSP esteja “bloqueado”, porque era “muito importante” para a renovação dos quadros daquela polícia.

“Neste momento está bloqueada, por parte deste Governo, a implementação desse estatuto, nomeadamente através da formação de novos agentes que iria permitir que um conjunto de agentes, que neste momento têm alguma idade avançada, pudessem passar para uma situação de pré-aposentação e que têm de ser substituídos por novos agentes”.

Os deputados do PSD Virgílio Macedo e Emília Santos, eleitos pelo círculo eleitoral do Porto, mostraram-se hoje “muito preocupados” com a “falta de investimento ao nível de meios materiais e meios humanos na PSP” e defendem que é prioritário “ajudar e dar meios” aos profissionais da PSP para que se mantenha o clima de segurança em Portugal.

Durante esta semana, garantem os deputados, vão preparar “uma pergunta ao Governo” sobre a falta de meios na PSP do Porto.

“Esperemos que a senhora ministra da Administração Interna nos responda num prazo útil a estas questões que são importantíssimas, não é [só] para o Porto, é para o país, porque o que se passa aqui no Porto replica no resto do país”, concluiu o deputado.

A ASPP/PSP denunciou hoje que 50% das viaturas do Comando Metropolitano da PSP do Porto estão inoperacionais por falta de verbas para proceder à respetiva reparação.

Alertou ainda que vai existir em 2017 um défice de “500 elementos da PSP” a nível nacional, porque está previsto passarem para a pré-aposentação cerca de 800 elementos e “fala-se da entrada” de 300 agentes.

Na semana transata, os deputados do CDS-PP requereram que a ministra da Administração Interna dê explicações sobre a alegada falta de viaturas de serviço nas esquadras da PSP no Porto.

No requerimento, datado de quarta-feira e intitulado “Falta de viaturas de serviço nas esquadras da PSP no Porto”, a que a agência Lusa teve hoje acesso, os deputados do CDS perguntam se a tutela tenciona tomar alguma diligência para “solucionar o problema”.

 

CCM // JGJ

Lusa/Fim

 

Notícia publicada na agência LUSA a 07.02.2017.