PSD/Porto exige esclarecimentos sobre surto de bactérias nas Urgências do Norte

10320468_838717786168715_2151930363778902011_n

PSD/Porto exige esclarecimentos sobre surto de bactérias nas Urgências do Norte

Porto, 15 de abril de 2016 – A distrital do PSD do Porto, liderada pelo deputado Virgílio Macedo, revela-se surpreendida com a ausência de esclarecimentos e absoluto silêncio por parte do Governo, relativamente às recentes notícias que confirmam a perturbação nas urgências hospitalares da região Norte.

Em causa está o alastramento de bactérias no Hospital S. João e Santo António, no Porto, Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, e casos referidos na cidade de Braga e Vila Nova de Gaia.

Não querendo fazer política sobre um assunto particularmente alarmante para as populações, ao contrário do que o PS fazia enquanto oposição irresponsável, a distrital do PSD do Porto exige ter conhecimento das ações levadas a cabo pelo Governo até ao momento e saber qual a sua estratégia para erradicar este flagelo.

Contudo, a distrital do PSD do Porto tem conhecimento que a principal preocupação do Ministério da Saúde e do Presidente da ARS do Norte não é salvaguardar a saúde pública das populações do Norte mas sim, a substituição do Conselho de Administração da ARS Norte, e das administrações hospitalares, numa clara ação que consideramos de assalto ao poder – atitude característica do Partido Socialista. É exemplo, a situação verificada no Hospital do Tâmega – Sousa, em Penafiel, onde um reconhecido membro do Partido Socialista é Presidente do seu Conselho de Administração – que, diga-se, foi nomeado pelo Governo do PSD/CDS-PP, com inegáveis provas de gestão de qualidade, e que atualmente está a ser afastado para, eventualmente, ser substituído por um ‘boy’.

A distrital do PSD do Porto estranha também o silêncio conivente do Presidente da Federação Socialista do Porto sobre este tema que, lembre-se, foi o Secretário de Estado da Saúde a deixar cerca de 3.000 milhões de euros de dívidas em atraso a fornecedores da saúde em 2011, mas que, mais uma vez, mostra que as suas verdadeiras prioridades não são a defesa dos interesses das populações do Norte.

A distrital do PSD do Porto aguarda serena mas atentamente que o Ministério da Saúde considerar conveniente efetuar sobre esta matéria.