Reunião com o Presidente da Associação Empresarial de Portugal (AEP)

Nota de imprensa

 

O Vice-Presidente do PSD, Marco António Costa, e o Presidente da Distrital do PSD/Porto, Bragança Fernandes, reuniram com o Presidente da AEP (Associação Empresarial de Portugal), Paulo Nunes de Almeida.

A reunião inseriu-se num conjunto de visitas que Marco António Costa e Bragança Fernandes estão a realizar a várias instituições do distrito do Porto.

Nesta produtiva reunião de trabalho foi possível abordar diversas temáticas que são importantes para as empresas e para o distrito do Porto. Nomeadamente, foi possível abordar a execução do Quadro de Apoio “Portugal 2020” pelas empresas portuguesas, com especial enfoque nas do distrito do Porto. Abordou-se, ainda, o estado do financiamento ao sector empresarial privado.

Na reunião, além da situação económica e social que o país e o distrito do Porto enfrentam, foi abordado o cancelamento de três obras infraestruturantes para o distrito do Porto: o cancelamento das obras do IC 35 (que ligaria a zona sul do Marco de Canaveses e Castelo de Paiva à A4, em Penafiel), o que fará com que a indústria de extração de granito continue a ter dificuldades em escoar os seus produtos, nomeadamente para o Porto de Leixões; a Variante à EN 14 (que liga os concelhos da Maia, Trofa e Famalicão), que permitiria descongestionar de trânsito de zonas fortemente habitacionais e permitir a melhor circulação de mercadorias de uma das zonas mais industrializadas de Portugal; a variante à EN 211 que permitiria aproximar as regiões mais interiores do distrito, tornando a mobilidade mais capaz e rápida.

Por fim, na reunião, ainda foi abordada a necessidade de tornar o Porto de Leixões mais competitivo na região, fazendo dele, cada vez mais, uma porta de excelência para a exportação das matérias produzidas pelas empresas portuguesas. Para isso, seria necessário o aumento do terminal de cargas de contentores e do calado do porto, permitindo a entrada de navios de maior porte. Desta forma, o Porto de Leixões afirmar-se-ia como uma plataforma estratégica para o país e para a Europa.

No final ficaram acordadas reuniões regulares com a AEP para monitorização de diversos temas de relevância para a economia regional.

 

 

Porto, 19.12.2016